Quinta do Conde: D. José Ornelas crismou 19 novos “cuidadores da humanidade”

20171112_Crisma_QuintaConde

A comunidade cristã da Quinta do Conde reuniu-se no passado dia 12 de Novembro, na Igreja Paroquial de Nossa Senhora da Esperança, para assistir à crismação de 16 jovens e 3 adultos. Entre os crismados, encontrava-se a dona Carmina Henriques que, com 78 anos, decidiu completar a sua iniciação cristã e receber o Sacramento da Confirmação.

Numa Eucaristia especialmente dedicada ao dom do Espírito Santo, o Bispo de Setúbal começou por explicar a relação umbilical que une Deus aos homens, uma relação paternal e carinhosa: “Através do Baptismo, Deus diz isto a cada um e cada uma de nós: tu és o meu filho ou a minha filha. E como um Pai, Ele cuida de nós, vindo em nosso auxílio quando precisamos dele.”

É esta mesma essência que recebemos através do Espírito Santo: “Vocês, os mais novos, a maioria dos que vão ser crismados, foram acarinhados assim pelos pais e também o foram na Igreja. Na catequese, ao aprenderem um caminho novo, este caminho até Deus, a comunidade cuidou de vocês”, acrescentou o prelado diocesano.

“Esta comunidade precisa de vocês para que cresça e se desenvolva”

E agora é sua vez de se tornarem cuidadores. Depois de viverem esse carinho e cuidado de Deus e da comunidade, os crismados foram chamados a dizer que acreditam, que são membros da comunidade e que estão cá para cuidar dela: “Isso é aquilo que o Espírito do Senhor nos impele a ser: construtores da humanidade, cuidadores de fragilidades, edificadores, plantadores. Este é o Espírito que nós aprendemos com Jesus, e foi isso que Ele enviou os discípulos a fazer.”

Perante uma igreja lotada, os dezanove crismados foram acompanhados pelos padrinhos na sua crismação. Deram o seu “sim” a Deus e receberem o dom do Espírito Santo, sob o olhar atento da comunidade e de quem concelebrou, o Padre José Manuel Abreu, o Padre António Costa Marques e o Padre Adalberto Saraiva.

A celebração terminou com um desafio do prelado diocesano aos crismados: “esta comunidade precisa de vocês para que cresça e se desenvolva. A comunidade só faz sentido convosco nela, metendo as mãos à obra. Para que a comunidade, que cuidou de vocês, quando precisar de ajuda e ligar para o 112, saiba dizer o vosso nome.”

João Marques, Paróquia da Quinta do Conde

14 de Novembro de 2017