Conselho Presbiteral aprova criação de Fundação D. Manuel Martins

20171123_Fundacao_DManuelMartins_01

O Conselho Presbiteral da Diocese de Setúbal aprovou “com júbilo e por unanimidade” a criação de uma instituição católica dedicada à cultura, com o nome do seu primeiro Bispo, D. Manuel da Silva Martins.

De acordo com o Conselho Presbiteral da Diocese de Setúbal, que esteve reunido no passado dia 21 de novembro, com a criação da Fundação D. Manuel Martins, a Diocese sadina pretende manter viva a memória eclesial do seu primeiro Bispo, bem como o seu pensamento e a sua ação. Será uma instituição cultural católica que surge no âmbito diocesano, mas que quer ter uma abertura à sociedade.

Entre as responsabilidades que a Diocese está a equacionar para esta instituição, encontra-se a criação de um espaço-museu para guardar o espólio de D. Manuel da Silva Martins, nomeadamente, toda a correspondência trocada com as mais variadas entidades, personalidades e pessoas anónimas.

Deverá, ainda, proteger todo o pensamento e ação social do primeiro Bispo de Setúbal, incentivar a criação de novos projetos com o carácter social e publicar literatura com o seu pensamento e intervenção social.

Para avançar com este projeto, será constituída uma comissão de estudo que irá refletir e orientar todo o processo.

Diaconado Permanente vai estar em reflexão

Outro dos temas abordados no primeiro Conselho Presbiteral deste ano pastoral foi a formação de um novo grupo de diáconos permanentes, pelo que se irá constituir um grupo de estudo para avançar com esta reflexão e organização.

Questionado sobre o perfil do Diácono Permanente, o Conselho considera-o como dom dado à Igreja porque que uma Igreja sem diáconos é uma Igreja mais pobre, mas reconhece que é necessária uma profunda reflexão, de forma a envolver os diáconos na dinâmica pastoral da Diocese.

Economia da Diocese, ação pastoral e formação do Clero

Foi ainda considerada pertinente a revisão da remuneração do clero para 2018, que será aumentada em 20,00€ (vinte euros), passando a ser de 800,00€ (oitocentos euros). Um aumento do mesmo género terá lugar, igualmente, para os restantes colaboradores dependentes da Cúria Diocesana.

Entre outros temas alvo da reflexão do Conselho Presbiteral, presidido pelo Bispo Diocesano, esteve também a formação de um grupo de estudo para a revisão do Estatuto Económico do Clero e das normas de administração das Paróquias, que também estudará a sustentabilidade do Fundo do Clero.

No que se refere à ação pastoral da Diocese, e continuando a viver-se um biénio dedicado à Família, o Vigário Episcopal para a Pastoral, Padre Luís Ferreira, informou o Conselho Presbiteral que, após a criação do Tribunal Eclesiástico, se espera, em cada Vigararia, a criação de novas equipas de casais para o acompanhamento de casais em situação de crise. Por outro lado, sublinhou o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido pelo Secretariado Diocesano da Pastoral da Juventude a propósito dos Sínodo dos Bispos que se irá realizar em 2018 com o tema “Os jovens, a fé e o discernimento vocacional”.

Também a formação do Clero esteve em análise, tendo esta sido confiada ao Secretariado Permanente do Conselho Presbiteral sob a orientação do Bispo diocesano.

Anabela Sousa

Partilhe nas redes sociais!
23 de Novembro de 2017