Santuário de Cristo Rei: Interior do Pavilhão do Rosário revestido dos Mistérios do Rosário

20180104-Quadros-Cristo-Rei

Os 20 Mistérios do Rosário estão representados em pinturas, no Pavilhão do Rosário do Santuário de Cristo Rei. A inauguração da obra, de autoria do artista francês, Serge Nouailhat, foi realizada após a Celebração Eucarística presidida pelo Bispo de Setúbal, D. José Ornelas, na Solenidade de Santa Maria, Mãe de Deus, dia 1 de janeiro de 2018.

O reitor do Santuário, Padre Sezinando Alberto, tem convidado vários artistas cristãos para colaborarem com o Santuário, pois acredita que é importante evangelizar através da Arte.

O artista fala sobre a sua obra

Estas pinturas não teriam vindo à luz do dia sem o meu encontro prévio com Portugal, através do Santuário de Fátima, onde me desloquei muitas vezes para colaborar com o diretor do Colégio São Miguel e fundador de uma galeria de Arte, o Padre Ventura. A sua intuição sobre a importância da arte numa evangelização pela cultura, o seu combate pela promoção de uma arte cristã de qualidade permitiram um lindo encontro e uma grande amizade. Graças a ele, pude realizar várias pinturas de vitrais em Portugal: Alcanena, Tondela, Évora, Fátima, Almada.

Os 20 quadros de grande dimensão (1,5m x 2,25m) exigiram-me um trabalho regular de mais de um ano. Ampliei sobre tela as pequenas maquetes desenhadas primeiro a lápis de carvão. Dou muita importância aos movimentos, às personagens, aos jogos de mãos e de olhares, sem procurar uma fidelidade absoluta ao real. Quando se trata de pintar anjos e personagens bíblicas é preciso confiar à poesia uma parte da evocação dos mistérios.

Escolhi figurar também nos quadros os textos hebraicos provindos do Antigo Testamento. Estes textos ainda hoje lidos pelos judeus, nossos precursores na Fé, prefiguram e para alguns anunciam o Cristo e os acontecimentos da sua vida presentes no Rosário. Para além da beleza do alfabeto hebraico, onde cada letra é para mim uma chama, eu vejo nesta caligrafia uma presença viva do Espírito Santo. Faço questão de tornar patente que a nossa fé se enraíza no Antigo testamento e assim na tradição judaica.
 
Com este trabalho espero poder ajudar à abertura dos corações. Sonho com uma arte que nos torne mais abertos e permeáveis à graça que passa pelos nossos sentidos! Este é o primeiro papel da arte no seio da liturgia: conduzir-nos a Deus.

Agradeço aqueles que, como o Padre Sezinando, permitem perpetuar a cultura cristã dando trabalho aos artistas vivos, renovando-a e atualizando-a para a nossa época ferida”.

Serge NOUAILHAT
Almada, 1 de Janeiro de 2018

Tradução do Francês para o Português : Irmã Maria João Alves

Artigo disponibilizado por: Ir. Zuleides Andrade, ASCJ, Comunicação para a Pastoral do Santuário de Cristo Rei

Partilhe nas redes sociais!
04 de Janeiro de 2018