Paróquia de Amora festejou Beato Scalabrini: “Uma comunidade unida na diversidade”

20180603-Amora-Festa-Scalabrini-08

A Paróquia de Amora, fruto da forte presença migrante, é rica em diferentes cores, línguas, cantos, sabores, costumes. E foi nesta realidade de diversidade que, com grande alegria e gratidão, e com a participação de todos, celebrou no domingo, dia 03 de junho, a Festa do Beato João Batista Scalabrini e das Comunidades.

A festa começou com a Eucaristia, com as palavras do próprio Beato, lembradas pelo celebrante Padre Geraldo Finatto: “É a fé que faz olhar todos os homens como irmãos. É a fé que em todos os acontecimentos, alegres ou tristes, nos faz ver a bondosa mão de Deus, que sempre faz o melhor para nós”.

A celebração decorreu sob o colorido das bandeiras dos países de origem daqueles que fazem parte desta paróquia – Portugal, Itália, Cabo Verde, S. Tomé e Príncipe, Moçambique, Angola, Guiné, Brasil, Venezuela, México, Índia -Goa e Timor Leste. Foi animada com particular participação das comunidades migrantes no coro, na entronização da Palavra pela comunidade de Cabo Verde, na oração dos fiéis (com preces na língua materna de cada uma) e no ofertório (com entrega de produtos típicos de cada terra).

Seguiu-se o almoço onde foi possível provar especialidades dos vários países, numa mistura irresistível de cheiros e sabores. Desde a típica sopa de cação e o arroz de tomate com pataniscas portugueses, passando pelo cozido misto de S. Tomé, a cachupa de Cabo Verde, a moamba de galinha de Angola, o caldo de mancarra da Guiné, dando um salto sob o Atlântico para provar a feijoada Brasileira ou a arepa da Venezuela, terminando com uma viagem ao outro lado do mundo para experimentar o chow mein de Timor.

A tarde cultural contou com a apresentação dos cantos do Grupo de Cursistas da paróquia, com a comunidade Guineense que nos cantou músicas religiosas típicas e as comunidades de Cabo Verde e S. Tomé que partilharam com todos as suas danças. O grupo de jovens Eccomi interpretou a sua canção Música do Coração, vencedora do Festival da Canção Jovem Cristã neste ano.

A festa terminou com um teatro musical sobre a vida do Beato João Batista Scalabrini e do seu carisma. A peça foi escrita e encenada pelo seminarista Daniel Gomez e contou com a participação dos paroquianos de forma particular o Grupo de Pequenos Cantores, o Grupo de Jovens Eccomi, os Leigos Scalabrinianos e os Escuteiros.

Este bispo italiano, nascido em 1839, enamorado da Eucaristia, da Cruz e de Nossa Senhora, foi interpelado pela realidade do seu tempo, onde as migrações em massa explodiam na Itália. Com espírito de pastor que vê o seu rebanho dispersar, confrontando-se com os migrantes que partiam da estação de Milão e os apelos dos seus diocesanos emigrados na América, empenhou-se na denúncia das injustiças e opressões do fenómeno migratório.

Soube também ler nele um desígnio de Deus, que o levou a procurar a missão da Igreja para com o migrante. Fundou assim os Missionários e as Missionárias de S. Carlos- Scalabrinianos/as, que nos dias de hoje marcam presença nos quatro cantos do mundo (inclusive na nossa paróquia) ao serviço dos migrantes.

Numa atualidade que receia o que é diferente e se fecha numa indiferença egoísta ao drama dos irmãos, alegra-nos viver numa comunidade unida na diversidade, onde as diferenças nos enriquecem e nos constroem em vez de nos assustarem e onde o esforço para construir pontes supera a tentação de construir muros.

Cláudia Espírito Santo, Paróquia de Amora

Partilhe nas redes sociais!
07 de Junho de 2018