“Nós, Deus… e a Natureza”: Encontro Matrimonial encerrou atividades do ano no Alentejo

20180707-EM

Primeira etapa: Azaruja, Évora. É dia de renovar o amor. Em casal. Ou em sacerdócio. Para o concretizarmos, recebemos um kit – “Deixem que o vosso coração veja, não apenas tudo o que os vossos olhos captam, e vivam esta experiência de amor” (manual de orientação). Foi o primeiro desafio, combinado com a criação de um bouquet de flores e com a elaboração de uma moldura de selfies para reviver memórias futuras.

Sabiam que para haver cortiça é necessário uma prova de amor de mais de 30 anos de privações e de muito carinho? Pois, a natureza também se ama. E para aqueles que apreciaram mais perto as inúmeras aplicações deste produto, onde somos líderes mundiais, fomos convidados a deixar que o nosso amor de casal/sacerdote fosse revestido por estes mimos:

  1. Leveza, que permite afastar as pequenas pedrinhas que surgem no dia-a-dia, sem nunca comprometer a decisão de amar;
  2. Impermeabilidade à sociedade líquida, permitindo a continuidade da construção sólida da nossa relação em casal e em comunidade;
  3. Antioxidante natural da nossa relação;
  4. Protecção e refúgio;
  5. 100% natural e renovável em todos os dias da nossa vida.

Casa do Eremita – Serra d’Ossa

Segunda etapa: castelo de Evoramonte, casa de Bragança. Terra de silêncio, Deus e natureza. E de História, onde foi assinada a convenção que restabeleceu a paz em Portugal, após a guerra civil entre liberais e absolutistas. Com os reis Paz e a rainha Amor, devidamente coroados, e perante a imensidão de uma paisagem de cortar a respiração, fomos convidados a deixar as nossas disputas e desavenças e a envolvermo-nos nesta simbiose ímpar de unidade, partilhando um momento alto da nossa relação.

E partimos em paz e reconciliação, em comunhão com Deus, dirigindo-nos ao próximo destino: castelo de Estremoz. De portas abertas, num acolhimento que nos é familiar, somos recebidos pelo espírito da rainha Santa Isabel e do milagre das rosas, que viria a falecer aqui, em 1336. Por esta altura, o nosso reservatório de amor já estava próximo do nível máximo. Prontos para o novo desafio, fomos animados para recordar um momento em que fomos milagre para o nosso cônjuge/comunidade.

Deixando com alguma nostalgia aquele lugar mítico, dirigimo-nos, em comunidade, para um lugar santo onde se ergueu, em 1397, a Ermida do Monte da Virgem, doada por Frei Rodrigo Fulcaz aos pobres da Serra d’Ossa. Neste sítio recolhido, com uma paisagem deslumbrante, tivemos oportunidade de oferecer os bouquets, símbolos do nosso amor, a nossa Mãe e de manifestar ao Pai a nossa fé, agradecendo as maravilhas que opera diariamente em nós, relembrando os nossos irmãos em sofrimento, pedindo-Lhe apoio nestes momentos particularmente difíceis.

Por fim, para os mais ousados, foi lançado espontaneamente o desafio para uma pequena «peregrinação» à Casa do Eremita onde, consta a lenda, se terá retirado um monge para, em oração, contemplar Deus e reforçar a Sua aliança com os homens.

Comunidade Encontro Matrimonial – Região Sul

Noémia e Jorge com Pe. Leonel Neves, casal responsável e assistente do Encontro Matrimonial em Setúbal

Partilhe nas redes sociais!
07 de Julho de 2018