comprehensive-camels

Covid-19: Papa saúda regresso das celebrações comunitárias da Missa, pedindo respeito pelas normas

First service after shutdown

Francisco deixa «pensamento afetuoso» para as crianças que viram adiada a sua Primeira Comunhão.

O Papa saudou no Vaticano o regresso das celebrações comunitárias da Missa, em vários países, após a suspensão provocada pela pandemia de Covid-19, pedindo respeito pelas normas sanitárias.

“Por favor, avancemos com as normas, as prescrições que nos são dadas, para guardar assim a saúde de cada um e do povo”, referiu, após a recitação da oração do ‘Regina Caeli’, com transmissão online desde a biblioteca do Palácio Apostólico.

Francisco sublinhou que, nalguns países, já regressaram as celebrações litúrgicas, com fiéis, e noutros avalia-se essa possibilidade; na Itália, a celebração da Missa com a presença de assembleia começa esta segunda-feira.

Em Portugal, as celebrações comunitárias regressaram a 9 de maio no arquipélago da Madeira; as Eucaristias com a participação de fiéis voltam a 18 de maio em sete ilhas açorianas e a 30 de maio em todas as outras comunidades do país.

O Papa quis deixar um “pensamento afetuoso” às crianças que viram adiada a sua Primeira Comunhão.

“Por causa da pandemia, este belo momento de fé e de festa foi adiado”, assinalou.

Caríssimos, convido-vos a viver este tempo de espera como oportunidade para uma melhor preparação: rezando, lendo o catecismo para aprofundar o conhecimento de Jesus, crescendo na bondade e no serviço aos outros. Um bom caminho”.

Francisco assinalou o centenário de nascimento de São João Paulo II, que se vai assinalar esta segunda-feira.

O Papa vai celebrar uma Missa pelas 07h00 (menos uma em Lisboa), com transmissão online, no altar onde estão os restos mortais do santo polaco (1920-2005).

“Que, do Céu, ele continue a interceder pelo Povo de Deus e a paz no mundo”, declarou.

Na sua reflexão dominical, Francisco referiu que os ensinamentos de Jesus Cristo levam a fazer do “amor gratuito” uma “forma concreta” de vida, sem esperar nada em troca.

“Que a Virgem Maria, modelo de Igreja que sabe ouvir a Palavra de Deus e acolher o dom do Espírito Santo, nos ajude a viver com alegria o Evangelho, na consciência de sermos sustentados pelo Espírito, fogo divino que aquece os corações e ilumina os nossos passos”, concluiu.

Como habitualmente, no período em que a Praça de São Pedro se encontra fechada ao público, o Papa deslocou-se à janela do apartamento pontifício para conceder a sua bênção.

© Agência Ecclesia

Partilhe nas redes sociais!
22 de Maio de 2020