comprehensive-camels

França: Conferência Episcopal Portuguesa condena «ato bárbaro» em igreja da Diocese de Nice

Knife attack in French city of Nice

A Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) manifestou a sua solidariedade às vítimas atentado desta manhã na Basílica de Notre-Dame, em Nice, condenando este “ato bárbaro”.

“Neste dia em que houve um atentado na Basílica Notre-Dame de Nice, durante uma celebração eucarística, com a morte de pelo menos três pessoas, lamentamos e condenamos mais este ato bárbaro e violento que elimina vidas humanas e atinge a paz nessa região”, refere uma nota enviada à Agência ECCLESIA pelo Secretariado Geral da CEP.

Os bispos católicos dirigem-se em particular à Diocese de Nice e à Conferência Episcopal Francesa, rezando “pelas vítimas e seus familiares”.

O texto partilhar “os sentimentos de emoção e de perdão” manifestados por D. André Marceau, bispo de Nice, em comunicado emitido esta manhã.

“Todas as minhas orações vão para as vítimas, os seus entes queridos, as forças de segurança na linha da frente nesta tragédia, padres e fiéis feridos na sua fé e na sua esperança. Que o espírito de perdão de Cristo prevaleça face a estes atos bárbaros”, escreve o responsável católico.

O ataque com faca na cidade de Nice provocou três mortes: duas pessoas, um homem e uma mulher, foram mortas na Basílica de Notre-Dame, onde ocorreu o ataque; uma terceira vítima, gravemente ferida, morreu num estabelecimento comercial perto da igreja, onde se tinha refugiado.

D. André Marceau, bispo de Nice, refere em comunicado que um “drama se abate sobre esta manhã na comunidade cristã dos Alpes-Marítimos” e informa que, de momento, todas as igrejas de Nice estão “fechadas até novo aviso e colocadas sob proteção policial”.

O responsável católico mostra a sua tristeza “infinita como ser humano, diante do que outros seres, ditos humanos, podem fazer”, condenando o que qualifica como “ato terrorista hediondo”.

Os sinos das igrejas de França vão dobrar, pelas 15h00 (menos uma em Lisboa), e os católicos são convidados a uma oração pelas vítimas.

O Conselho Francês de Culto Muçulmano (CFCM) publicou um comunicado de condenação do “ato terrorista”, convida a comunidade islâmica a manifestar “luto e solidariedade com as vítimas e seus entes queridos”.

O ataque acontece 13 dias após a morte do professor Samuel Paty, decapitado por um fundamentalista islâmico, e num contexto de forte tensão entre a França e vários responsáveis muçulmanos, após o início do julgamento sobre os ataques terroristas de janeiro de 2015 em Paris, incluindo à revista satírica Charlie Hebdo, em que morreram 17 pessoas.

Recursos Agência Ecclesia

Partilhe nas redes sociais!
29 de Outubro de 2020