comprehensive-camels

Ucrânia: Conferência Episcopal pede que dioceses e organismos católicos se unam a jornada de oração pela paz na Ucrânia

Anniversary of Unification of East and West Ukraine in 1919

A Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) convida as dioceses e organismos católicos do país a unirem-se à jornada de oração pela paz na Ucrânia, hoje, dia 26 de janeiro, uma iniciativa convocada pelo Papa Francisco.

“Pede-se a todas as Dioceses e organismos eclesiais que estejam em sintonia com a intenção do Santo Padre, assumindo o dia 26 de janeiro como um dia de oração pela paz, na solidariedade fraterna com o povo ucraniano e com os cristãos e os bispos da Ucrânia”, refere uma nota do Secretariado-Geral da CEP, enviada à Agência ECCLESIA.

O texto recorda a intervenção do Papa, este domingo, após a recitação do Angelus, com um “veemente apelo à paz na Ucrânia, face à iminente situação de guerra”.

A CEP assinala ainda que, na última sexta-feira, os bispos da Europa exprimiram a mesma intenção: “Neste momento extremamente delicado, pedimos aos cristãos para rezarem pelo dom da paz na Ucrânia, para que os responsáveis sejam contagiados pelo bem da paz e para que a crise seja superada exclusivamente através do diálogo”.

Já hoje, no final da audiência pública semanal que decorreu no Auditório Paulo VI, do Vaticano, o Papa Francisco voltou a apelar à oração, defendendo o diálogo para evitar um cenário de guerra: “Que as orações e súplicas, que hoje se elevam ao Céu, toquem as mentes e os corações dos responsáveis na terra, para que façam prevalecer o diálogo, e o bem de todos seja colocado acima dos interesses particulares. Por favor, nunca a guerra”, disse.

“Peçamos ao Senhor com insistência que aquela terra possa ver florescer a fraternidade e superar feridas, medos e divisões”, pediu esta manhã.

O Papa, que tinha evocado o Holocausto, durante a II Guerra Mundial (1939-1945), evocou os mais de cinco milhões de ucranianos que “foram aniquilados, durante o tempo da última guerra”.

“É um povo sofredor, sofreu a fome, tantas crueldades, e merece a paz”, acrescentou.

Rezemos pela paz com o Pai Nosso: é a oração dos filhos que se dirigem ao mesmo Pai, é a oração que nos faz irmãos, é a oração dos irmãos que imploram reconciliação e concórdia”.

Francisco convidou os católicos a rezar pela paz na Ucrânia “muitas vezes, durante este dia”.

A Diocese das Forças Armadas e das Forças de Segurança, por exemplo, vai unir-se a todas as Dioceses do País num momento de oração, às 18h00, na Igreja da Memória, em Lisboa.

Também o Santuário de Fátima anunciou que, em todas as celebrações deste dia, se vai rezar “explicitamente pela paz”.

A NATO tem reforçado a ajuda militar à Ucrânia e a Rússia tem estacionados cerca de 100 mil soldados nas fronteiras com este país.

Após a revolução pró-ocidental de 2014, em Kiev, Moscovo anexou a região da Crimeia, apoiando ainda movimentos separatistas nas províncias de Donetsk e Luhansk.

Estima-se que o conflito tenha provocado mais de 13 mil pessoas, nos últimos anos, obrigado à deslocação de milhões de pessoas.

©Agência Ecclesia

No final da oração do Angelus do passado domingo, o Papa Francisco fez um veemente apelo à paz na Ucrânia, face à iminente situação de guerra: «Acompanho com preocupação o aumento das tensões que ameaçam infligir um novo golpe à paz na Ucrânia e põem em questão a segurança do continente europeu, com repercussões ainda mais vastas. Faço um premente apelo a todas as pessoas de boa vontade para que elevem orações a Deus Todo-Poderoso, a fim de que todas as ações e iniciativas políticas sirvam a fraternidade humana e não os interesses partidários. Aqueles que perseguem os próprios objetivos em detrimento dos outros desprezam a sua vocação de seres humanos, porque todos nós fomos criados irmãos. Por este motivo e com preocupação, dadas as atuais tensões, proponho que na próxima quarta-feira, 26 de janeiro, seja um dia de oração pela paz».

Na passada sexta-feira, os Bispos da Europa exprimiram a mesma intenção: «Neste momento extremamente delicado, pedimos aos cristãos para rezarem pelo dom da paz na Ucrânia, para que os responsáveis sejam contagiados pelo bem da paz e para que a crise seja superada exclusivamente através do diálogo».

No seguimento destes apelos, pede-se a todas as Dioceses e organismos eclesiais que estejam em sintonia com a intenção do Santo Padre, assumindo o dia 26 de janeiro como um dia de oração pela paz, na solidariedade fraterna com o povo ucraniano e com os cristãos e os bispos da Ucrânia.

Comunicado do Secretariado Geral da Conferência Episcopal Portuguesa

 

Vaticano: Papa convoca jornada de oração pela paz, perante «aumento das tensões» na Ucrânia

Partilhe nas redes sociais!
26 de Janeiro de 2022