comprehensive-camels

Crisma “não pode ser a despedida”

20240505_crismas_samouco_0046

O bispo de Setúbal, Cardeal D. Américo Aguiar, presidiu hoje à celebração dos Crismas na paróquia de S. Brás de Samouco. Foram 27 crismandos, dos 15 aos 72 anos, que se apresentaram perante o bispo da diocese para serem confirmados na sua Fé.

Este foi, aliás, o repto que D. Américo Aguiar deixou a cada um. “Espero que hoje não seja a vossa despedida, mas sim o início de uma vida a dar testemunho de Cristo Ressuscitado. Não se esqueçam que em todo o lado onde forem o vosso rosto é o de Cristo Ressuscitado”, alertou.

Na homilia da celebração, D. Américo voltou a falar no tema da Fraternidade, e usou o exemplo de Jesus. “Jesus começou a criar mal-estar na comunidade porque disse que éramos todos irmãos e eles não estavam prontos para aceitar essa realidade, e por isso mataram-no”, afirmou, acrescentando que “o anúncio de Jesus de Nazaré é para todos, todos, todos”. “Aliás, não percebo porque é que hoje se espantam quando dizemos isso, porque há dois mil anos que o dizemos”.

O bispo de Setúbal defendeu que “a fraternidade é para levar a sério”. “O que eu sou e tenho só faz sentido em função da Fraternidade. Se eu tenho e posso, mas ao meu lado alguém não tem e não pode, isso não é Fraternidade”, avisou, criticando os que “exploram” e “enriquecem com a precariedade dos outros”.

No final da eucaristia, D. Américo Aguiar reforçou o apelo de “voltar a ver estes agora crismados na eucaristia”. “Quando cá voltar, vou perguntar por cada um de vós”, concluiu, em jeito de brincadeira.

 

 

Texto e fotos Ricardo Perna

Partilhe nas redes sociais!
05 de Maio de 2024