Novo pároco tomou posse

DSC_0635

Na paróquia de Nossa Senhora da Consolação do Castelo de Sesimbra realizou-se no passado dia 7 de Setembro a tomada de posse do Pe. Eduardo Nobre. O bispo de Setúbal, D. Gilberto dos Reis, presidiu à cerimónia que coincidiu com o dia da padroeira e marcou o fim dos cinco anos de trabalho pastoral do Pe David Caldas naquela comunidade.

O Pe David Caldas vai, a partir da próxima semana, ser o novo pároco de S. João Batista de Vale de Milhaços, deixando a ligação de cinco anos à anterior paróquia: um como pároco in solidum, quatro como pároco. Mas a sua história com o Castelo de Sesimbra reporta há cerca de dez anos atrás, quando chegou como seminarista para iniciar dois anos de estágio pastoral.

Muitos foram os que subiram ao Castelo de Sesimbra para participar na cerimónia realizada dentro da Igreja. O calor que se fez sentir não atrapalhou a cerimónia onde estiveram presentes também outros padres da diocese e autoridades civis da localidade.

O bispo de Setúbal, lembrando o dia da festividade de Nossa Senhora da Consolação, referiu que é «feliz aquele que acolhe a consolação de Deus, e nesta paróquia existe tanta gente simples, dando dos seus bens para dar aos pobres, consolando os outros». «O padre é padre duma comunidade, e quer consolar», disse, sublinhando que «cada um que consola é consolador para o mundo». «O nosso mundo anda triste e precisa de esperança e de alegria, hoje aqui na Senhora da Consolação, o novo padre está aqui para mostrar que Deus nos consola», salientou. Ainda antes da leitura do auto de posse, o prelado agradeceu ao Pe David Caldas o seu trabalho. «Vocês são testemunhas da dedicação e do entusiasmo e da atenção que teve para com cada um de vós», referiu, desejando-lhe as maiores felicidades para o novo trabalho pastoral e fazendo votos que a Senhora da Consolação o continue a consolar.

 

Quatro anos de trabalho

 

Depois da homília, o novo pároco renovou as suas promessas sacerdotais e trocou de lugar com o seu antecessor. No final e antes da assinatura da ata que marca o momento da tomada de posse, o bispo deu de forma simbólica, as chaves da igreja ao novo responsável da paróquia.

No final o Pe David Caldas lembrou que «como em todas as histórias houve momentos bons e momentos menos bons, coisas para agradecer e coisas para pedir perdão». «Espero que na vossa habitual generosidade saibam relevar tudo aquilo que não ficou da forma que esperavam, gostariam e mereciam, tudo aquilo que ficou incompleto e tudo aquilo que ficou por fazer. Em Igreja sempre foi assim: já o apóstolo dizia: “eu plantei, Apolo regou, mas é Deus que faz crescer”», referiu.

De forma emotiva o sacerdote lembrou os seus antecessores que tanto deram à paróquia, em especial ao antecessor que o acolheu na equipa sacerdotal formada há cinco anos atrás, que o foi ajudando a conhecer a Paróquia. «Transmitindo os seus conhecimentos e preparando uma transição serena, para maior glória de Deus e bem desta comunidade eclesial», referiu, acrescentando que «só hoje compreendo verdadeiramente o que sentiu há quatro anos atrás».

Lembrou ainda as comunidades religiosas presentes na paróquia, quer de vida ativa, quer de vida contemplativa, bem como todos os movimentos, grupos e comunidades da paróquia. Sacerdote agradeceu ainda aos Conselhos da Paróquia e à direção do Centro Paroquial, bem como ao Diácono Jonas, que também cessa funções naquela paróquia.

«Esta foi a minha primeira paróquia – convosco cresci e me tornei o padre que hoje sou – e se solicitei ao Bispo diocesano esta mudança foi apenas por achar que precisavam de mais e melhor do que vos conseguia dar, não por qualquer tipo de desamor para convosco, antes pelo contrário», confessou, sublinhando que «quando se ama de verdade, tem de se saber entregar, tem de se saber reconhecer um termo e a necessidade de mudança, tem de se dar espaço ao outro para crescer».

 

Oração à Mãe

 

O Pe Eduardo Nobre, que presentemente se encontrava em trabalho pastoral na Austrália, tinha estado alguns anos na paróquia de Sarilhos Grandes e no Santuário de Nossa Senhora da Atalaia. «Mais uma vez me encontro junto da proteção de Nossa Senhora, desta vez do Cabo Espichel», referiu. O sacerdote agradeceu o convite feito pelo prelado que chegou ao outro lado do mundo e que rapidamente teve resposta positiva. «Obrigado pela confiança, procuro fazer o melhor», disse ao bispo. Agradeceu ainda ao seu antecessor desejando as maiores felicidades lembrando que não foi ele que desejou ir para aquela comunidade mas foi Deus que por intermédio do bispo diocesano o colocou ali.

No final falou a toda comunidade na qual espera trabalhar em união com todos. «Todos aqueles que queremos trabalhar para construir a Igreja de Jesus e levar com a alegria de levar Jesus ao mundo, estão comigo», disse, acrescentando que é preciso pedir ao Senhor que ajude pois a obra é dele, e não pode ser atacado pela “preguicite”. Ainda antes de terminar a celebração o sacerdote virado para a imagem de Nossa Senhora da Consolação rezou uma oração de sua autoria e convidou a todos os presentes a visitar o cemitério.

 

Bruno Máximo Leite

 

Partilhe nas redes sociais!
26 de Setembro de 2014